Usando o sol e as sombras para geolocalizar fotos e vídeos

Print More
geolocalizar

Captura de tela: SunCalc

A maioria das pessoas que verificam fotos e vídeos há algum tempo já conhece uma ferramenta chamada SunCalc, que cronolocaliza um vídeo ou imagem. O que quase ninguém sabe é que a posição das sombras e do sol também pode ser útil para a geolocalização.

O SunCalc permite que os usuários analisem a posição das sombras e do sol em qualquer hora e data, em qualquer local. Ao escolher uma data e dar zoom em um local como, digamos, Puerta del Sol em Madri, os usuários podem clicar no ícone de arrastar o sol na parte superior da página para ver a posição do sol em um determinado momento. A captura de tela acima mostra a posição do sol sobre a Puerta del Sol ao meio-dia de 22 de novembro de 2020, no SunCalc. Além disso, quando os usuários selecionam a altura de qualquer objeto, o algoritmo indica o comprimento correspondente de sua sombra.

A cronolocalização é uma arte em si. Este tutorial do @Sector035, usuário do Twitter e especialista em OSINT, oferece algumas dicas úteis. Em outro exemplo, Nick Waters, da Bellingcat, usou a técnica nesta investigação sobre a execução de dois homens armênios pelas forças armadas do Azerbaijão, em Nagorno-Karabakh.

Cronolocalização como geolocalização

Mas há outra maneira, muitas vezes esquecida, de usar o SunCalc. A técnica pode ser altamente eficaz para restringir uma área de pesquisa, excluindo falsos positivos e estabelecendo em qual direção a câmera está apontada em um determinado quadro.

Vamos dar uma olhada em como usá-lo.

O vídeo a seguir foi enviado por um usuário do Instagram em 22 de novembro de 2020.

 

Foi carregado como um story, o que significa que desapareceu do perfil dessa pessoa após 24 horas (seu autor deu permissão para o Bellingcat publicar a filmagem para fins educacionais).

O vídeo tem indicação de hora e mostra claramente o sol e as sombras. Esta é a primeira dica. A segunda é que o usuário é falante de português.

Em outras palavras, provavelmente foi filmado em um país lusófono – talvez Brasil, talvez Portugal, ou talvez um país de língua portuguesa na África. Embora a música de fundo  (“Surra de Cama” de Xand Avião) seja de um cantor brasileiro, este vídeo foi filmado em Portugal.

Como isso foi estabelecido?

O carimbo de hora do vídeo indica que o vídeo foi gravado às 16h31 (UTC). Além disso, ao abrir um story no Instagram, o leitor pode descobrir quando a história foi carregada (por exemplo, “há 25 minutos”). Ambos os carimbos de hora correspondiam à hora real em Portugal, o que significa que o vídeo também foi carregado por volta das 16h31 (UTC). No entanto, mesmo sem o carimbo de hora, o observador casual pode ver que a filmagem foi feita no final da tarde.

É plausível supor que o vídeo foi filmado em Lisboa, pois é a maior área metropolitana de Portugal. O mar é visível; o vídeo parece que foi filmado em uma cidade de tamanho médio ou maior.

Tudo isso pode ser verificado com SunCalc. Nesse caso, abrindo a página e selecionando 22 de novembro de 2020 às 16h31. Este link abre o SunCalc com exatamente as mesmas variáveis.

geolocalizar

Captura de tela: SunCalc

Como mostra a imagem acima, o sol estava prestes a se pôr naquele momento e a sudoeste da cidade. No vídeo, o sol está acima do mar à direita da pessoa que está filmando. Também fica claro que a filmagem foi filmada de um apartamento próximo a uma avenida de quatro pistas com uma fileira de palmeiras no meio, um estacionamento e uma rotatória alongada que parece ter sido construída recentemente:

geolocalizar

Imagem panorâmica baseada em capturas de tela do vídeo do Instagram.

Até agora, sabemos que o vídeo foi feito às 16h31 e que o sol estava na direção sudoeste naquele momento. Por esse motivo, podemos concluir que a pessoa que filmava estava voltada para o sul e que a direção da avenida corre aproximadamente de leste a oeste. Também sabemos que o mar ou a baía fica ao sul do local. Isso me permitiu montar este esboço:

geolocalizar

Se o mar ou outra massa de água deve estar a sul, isso exclui vários locais – não apenas mais para o interior, mas também quaisquer áreas da Grande Lisboa que estejam a sul do rio Tejo. Além disso, dado que a avenida corre não só de leste a oeste, mas também paralela à linha da costa, podemos também excluir a maioria dos locais do estuário do Tejo que ficam a nordeste de Lisboa.

Isto reduz as localizações possíveis a locais a oeste do centro de Lisboa, ao longo da costa até Cascais. É importante ressaltar que o outro lado do estuário do Tejo não pode ser visto nas imagens. Isso sugere que o vídeo foi filmado mais a oeste, onde o Tejo encontra o oceano ou ao longo da costa atlântica.

Uma busca de leste a oeste ao longo da costa, procurando por avenidas largas divididas por uma linha de palmeiras e perto de uma rotatória alongada, resulta em poucas correspondências potenciais. Se você estiver usando o Google Maps ou as imagens de satélite pré-selecionadas do Google Earth, você pode não encontrar a rotatória alongada, mas mesmo assim é difícil perder de vista a distinta Avenida da República em Oeiras – com quatro pistas e uma fileira de palmeiras. Não há outras ruas como esta na área próxima.

Um atalho útil

Como mencionado anteriormente, esta técnica é muitas vezes negligenciada. No entanto, é uma técnica bastante simples que pode economizar muito tempo uma vez aprendida. Levei apenas cinco a dez minutos no total para encontrar o local, começando apenas com um palpite de que esta filmagem poderia ter sido feita em Portugal – e mais especificamente, em Lisboa. Sem uma orientação geral (ou seja, onde os pontos cardeais estão em relação a alguns pontos de referência, neste caso o oceano), os pesquisadores podem perder muito tempo verificando falsos positivos que poderiam ter excluído imediatamente – neste caso, áreas costeiras ao sul ou nordeste de Lisboa.

Espero que esta seja uma dica útil em sua pesquisa. Ao menos, talvez isso faça você pensar duas vezes antes de postar um vídeo ou foto daquela vista incrível da janela do seu apartamento.

Esta história foi publicada originalmente no Bellingcat e é republicada aqui com permissão.

Leitura Adicional

Ferramentas de pesquisa on-line

Os métodos forenses que repórteres estão usando para identificar violência policial

Caixa de ferramentas GIJN: SpyOnWeb, VirusTotal e SpiderFoot HX


Youri van der Weide é pesquisador de código aberto e instrutor do Bellingcat. Ele trabalhou em uma ampla variedade de tópicos, incluindo abusos de direitos humanos na África, migração no Mediterrâneo Oriental, exportação de armas por países da União Europeia e pesquisa de novas ferramentas e métodos de pesquisa de código aberto.

Leave a Reply

Your email address will not be published.