Investigando incêndios florestais em meio a falta de dados na Venezuela

Em março de 2020, a jornalista ambiental Helena Carpio, se inclinou para fora de sua janela para ver Caracas cheia de fumaça. Algo estava queimando, mas ninguém sabia onde e não havia notícias oficiais sobre o que estava acontecendo. Ela começou a investigar, e o resultado é uma análise de duas décadas de dados de satélite em focos de calor para explorar quando, onde e por quê dos incêndios florestais na Venezuela e em toda a América Latina.

Como investigar feminicídio: um guia da GIJN

O feminicídio – o assassinato intencional de mulheres por serem mulheres – é um problema global. De acordo com as últimas estimativas da ONU, 50.000 mulheres e meninas são mortas a cada ano por parceiros ou outros membros da família. Este guia da GIJN visa ajudar os jornalistas a entender o que é o feminicídio, encontrar e compreender os dados disponíveis e sugerir quais especialistas entrevistar.

Dicas para entrevistar vítimas de tragédias, testemunhas e sobreviventes

Não existe um método infalível para entrevistar pessoas que foram vítimas ou sobreviventes de eventos traumáticos, como violência, crimes, desastres ou acidentes. Mas Marcela Turati, cofundadora da Quinto Elemento Lab, organização mexicana de jornalismo investigativo sem fins lucrativos, compartilha recomendações que podem ser usadas para conduzir uma entrevista humana, sensível e respeitosa.

Inscrições abertas para o Global Shining Light Award

Estão abertas as inscrições para o Global Shining Light Award. Este prêmio especial, patrocinado pela Global Investigative Journalism Network, honra o jornalismo investigativo praticado em países em desenvolvimento ou em transição, feito sob ameaça, coação ou nas piores circunstâncias. Neste ano, haverá duas categorias na premiação: Pequenos & Médios Veículos (organizações com equipes com até dez pessoas, incluindo freelances); e Grandes Veículos (redações com mais de dez pessoas na equipe). Os vencedores receberão uma placa, US$ 2.000 e uma viagem para a edição deste ano da Global Investigative Journalism Conference, em Hamburgo, onde receberão o prêmio diante de centenas de colegas de todo o mundo. Inscrições de trabalhos devem ser feitos de forma online, de preferência.